Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player



Pagina Inicial » Recursos » O PERIGO DOS INTERVALOS


O PERIGO DOS INTERVALOS



“... e, a partir daquele dia, o Espírito do SENHOR apoderou-se de Davi”. 1 Samuel 16.13b

O texto acima diz respeito ao momento em que o profeta Samuel derramou sobre a cabeça de Davi o azeite da unção e a partir daquele instante Davi passou a ser o ungido do Senhor. Aquela unção era de um valor inestimável, ela significava auxilio do alto, capacitação, direção, um novo propósito de vida e compromisso com uma missão. Aquele dia marcou a vida de Davi, quando ele voltou para junto de suas ovelhas, não era mais o mesmo; seu coração agora estava cheio de sonhos, havia uma longa estrada cheia de odisséias, e agora era preciso equilibrar seus sonhos com os sonhos de Deus; suas habilidades com a vontade de Deus, pois a partir daquela hora Davi estava a caminho do trono de Israel.

Aquela experiência nova que recebera, significava a presença vital do Espírito em sua vida, e daquele dia em diante, em toda e qualquer circunstancia, Davi passaria a ter uma companhia Divina. Na verdade aquela unção era a matrícula para uma nova história de vida com Deus, a não ser que o Espírito desistisse de Davi , o que era muito improvável – ou que Davi desistisse do Espírito – o que poderia acontecer. E foi exatamente o que aconteceu, num momento de vulnerabilidade. Eu chamo estes momentos de os “INTERVALOS DA VIDA”, que na sua maioria, são criados por nós mesmos, e acreditem! Os intervalos nascem das circunstâncias mais diversas: boas, cômodas e/ou desagradáveis e o parto se dá nos cenários mais domésticos; aqueles que acreditamos ter absoluto controle, que parece ser administrável como: nossa casa, nosso local de trabalho, na igreja em viagens de férias ou a congressos, etc. Sabe como é que é... aqueles períodos de autoconfiança e relaxamento.Bem!

Foi em um destes intervalos criado por Davi em meio a uma crise de comunhão provocada por um relaxamento para satisfazer o seu fascínio, um descuido espiritual aberto por um período de autoconfiança demasiada, que levou o ungido do Senhor a pecar gravissimamente contra Deus e perder a plenitude daquela unção. Apenas um só! Um pequeníssimo INTERVALO, mudou o comportamento de Davi; ele esqueceu que era um homem de Deus. Ele se esqueceu de Deus. Ele não era mais o mesmo, passou a representar, continuou fazendo de contas, fazendo vista grossa; ninguém viu, ninguém sabe e assim, ele caminhou achando que seu pecado não seria punido, que não haveria cobrança. Não precisamos ser profeta para afirmar o que aconteceu naqueles dias posteriores a queda de Davi, foram dias terríveis, dias sem unção, dias de mentiras, do sorriso falso, dias de impaciência, as noites de Davi eram noites insones, para onde ele se virava lá estava seu pecado, não havia mais músicas, Davi tornara-se um compositor sem canções, vivia amargurado, irritado e agressivo. Você conhece alguém assim? Queridos! A representação cansa e ninguém passa despercebido para Deus, veja o que diz 2 Samuel 11.27 – “Porém isto que Davi fizera foi mal aos olhos do SENHOR”.

Quero lhes dizer uma verdade, os intervalos criados por nós, nos levam a viver uma vida cristã contraditória – de repente passamos a dizer não a todas as coisas às quais deveríamos dizer sim e sim a tudo que deveríamos dizer não. Na verdade perdemos a habilidade de discernir entre o certo e o errado. É até possível que achemos que ninguém vai notar, mas Deus nota. Deus possivelmente não acertará as contas de imediato, mas um dia Ele fará. A Palavra de Deus nos adverte acerca disso: “Por isso o Senhor ESPERA, para ter misericórdia de vós, e se detém para se compadecer de vós, porque o Senhor é Deus de justiça”. Isaías 30.18

Esta espera é manifestação de Sua graça. Ele sinaliza de muitas maneiras e uma vez esgotado os recursos normais como a Sua Palavra escrita, a voz do Seu Santo Espírito e até mesmo a nossa própria consciência, e como ultimo recurso ele nos sinalizará com circunstâncias e muitas delas dolorosas – tudo isto visando nosso arrependimento. Mas se não atentamos para todos os seus sinais de amor e misericórdia, acredite, Ele se levantará para um acerto de contas. A Palavra de Deus diz: “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará”. Gálatas 6.7

Alguém já disse com muita propriedade: “As rodas do moinho de Deus andam devagar, mas moem extraordinariamente bem”. Deus esperou Davi por um ano inteiro para que ele fechasse o seu INTERVALO e confessasse o seu pecado e voltasse para Deus, mas Davi não fez nada para reverter seu caminho. O fato é que o dia da prestação de contas chegou sobre a vida de Davi. O resto desta história todos nós conhecemos. Finalmente depois que Deus trás tudo a luz, Davi cai na real. Daí sua oração depois de ter caído em si: “Não me expulses da tua presença nem tires de mim o teu Santo Espírito”. Salmo 51.11. Sabemos que as conseqüências deste intervalo foram danosas não só para Davi, mas para toda sua família, eles pagaram um preço por causa de sua inconseqüência.

Meu querido! Seja você um simples membro do corpo de Cristo, seja você um líder ou pastor saibam de uma coisa: Deus não tem prazer em expor o que acontece nos intervalos criados por nós para alimentar nosso desejo carnal, sejam eles quais forem. O que o nosso Deus não suporta a nossa obstinação pelo pecado, quando falamos de Deus de boca cheia, mas vivemos de coração vazio, quando pregamos que há um Deus que a tudo vê e vivendo como se Ele não existisse. Deus não suporta a hipocrisia, Ele tem ciúmes de sua Casa e fará o que for preciso para mantê-la limpa. Os escândalos causados por nossos INTERVALOS, são prova de que Deus ainda está entrando novamente no templo e virando as mesas das trapaças (cambistas); desfazendo os currais dos que vedem culto pronto sem dedicação e compromisso, daqueles que visam apenas o resultado final e a estima dos que compram seu produto. Confira o texto: “E foram para Jerusalém. Entrando ele no templo, passou a expulsar os que ali vendiam e compravam; derribou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas”. Marcos 11.15.

Vivemos dias assim, muitas de nossas igrejas encontramos os que VENDEM e os que COMPRAM cultos prontos; ninguém mais quer dedicar-se e trazer o culto de casa, preparado pela vida diária e oferecê-lo a Deus, é muito mais cômodo pagar pelo pacote pronto sem compromisso ou esforço algum. A grande verdade, é que o Senhor continuará limpando sua igreja dos que vendem e dos que compram.Os escândalos continuarão acontecendo Jesus mesmo já nos havia prevenido isto: “Disse Jesus a seus discípulos: É inevitável que venham escândalos, mas ai do homem pelo qual eles vêm!” Lucas 17.1. Do mesmo modo o apóstolo Paulo nos adverte dizendo: “Rogo-vos, irmãos, que noteis bem aqueles que provocam divisões e escândalos, em desacordo com a doutrina que aprendestes; afastai-vos deles, porque esses tais não servem a Cristo, nosso Senhor, e sim a seu próprio ventre; e, com suaves palavras e lisonjas, enganam o coração dos incautos”. Romanos 16.17

Queridos! Quero lhes dizer algo muito sério: Não fique tão surpreso quando um líder cristão é exposto pelos meios de comunicação. Creio que os meios de comunicação nos dias de hoje, tem se tornado “servos” de Deus para tratar com os obstinados ao erro, aqueles que falam de Deus e vivem como se Ele não existisse. É sempre bom lembrar que Deus usou a o rei da Babilônica para colocar o Seu povo nos trilhos, de volta para Ele – e ironicamente Deus chama o rei da Babilônia de meu servo. Confira, Jeremias 25.9; 27.6. Veja o que Deus diz de uma forma mais clara a cerca de Babilônia: “Tu, Babilônia, eras meu MARTELO e minhas ARMAS de GUERRA; por meio de ti, despedacei nações e destruí reis”. Jeremias 51.20. Sim. Deus continuará usando a imprensa secular e todos os meios de comunicação como um MARTELO para corrigir seu povo. Assim como no passado usou Babilônia. Sabeis porque Deus tem usado os meios de comunicação para punir líderes e pastores? Simplesmente porque a cúpula da igreja e a própria igreja não o faria nos termos bíblicos e isto tem acontecido tanto no meio protestante como católico. O máximo que se faz é transferir o “problema”, isto é, a pessoa para uma outra cidade, e aí, ele ou ela vai ser uma “bênção” para outros ingênuos. Quando não. Há aqueles casos que são descaradamente encoberto, tratado as escuras para não macular o nome do individuo ou da igreja “bem sucedida”. Há outros, e estes não são poucos, antes mesmo de serem chamados para um tratamento, (quando a denominação é séria) abandonam os seus cargos e vão para outras igrejas sem tratamento algum e lá são aceitos sem nenhum problema. É a lei do vale o quanto soma.

Não nos enganemos, a imprensa está nas mãos e a serviço de Deus nestes últimos tempos para correção de Igrejas e Pastores e aqueles que exercem cargo público (Nações e Reis) que se levantam como protagonistas da verdade, mas que, nos bastidores vivem uma mentira e espoliam as mentes dos desapercebidos.Queridos! Finalizando esta nossa reflexão, quero que saiba que escrevo estas palavras com temor e tremor, isto por que sou homem também sujeito a todo tipo de tentações, das fraquezas mais profundas da carne. Em cada esquina, em cada rua somos tentados todos os dias, estando a sós ou rodeados de pessoas, somos alvos prediletos das forças infernais que lutam a todo custo para nos derrubar.

Por isso a importância de andarmos sempre com o Senhor, de pedir diariamente que nos livre do todo mau, que nos livre das ciladas do inimigo, dos laços armados contra nós e que em nenhum dos momento de fraqueza; sejam eles de dor, de decepção, de vulnerabilidade, de descuido, de lutas, de dificuldade financeira, de abandono, de soberba, de autoconfiança, de glórias, de abundancia, criemos INTERVALOS em nossas vidas, pois eles podem nos levar a caminhos sem volta, a um cristianismo sem Cristo. Há uma coisa importante a se esclarecer. É que existem intervalos que são criados por Deus, com a finalidade de nos tratar, de nos fazer crescer. É bom lembrar que os intervalos de Deus produzem em nós crescimento e graça, produzem humildade e dependência total d’Ele. Em contra partida, os intervalos causados por nós mesmos é danoso, trágico e terrível; fere a alma e amarra o espírito, agride o nosso corpo, causa revolta e dor nos corações de muitos, e acima de tudo fere o coração de Deus e entristece o Espírito Santo. Acertadamente Paulo nos aconselha: “Não entristeçam o Espírito Santo de Deus, com o qual vocês foram selados para o dia da redenção” Efésios 4.30 Para quem tem o Espírito do Senhor e leva sobre os ombros o encargo da unção divina, INTERVALO como o de Davi e de tantos outros líderes que caíram, são muito desagradáveis. Então, cuidado meu querido irmão com os intervalos. Eles podem se tornar tão prolongados que o período de bem-estar espiritual é que passa a ser o intervalo, e não o estado dominante. Se, no presente momento, você está dentro de um desses intervalos, seja na vida familiar, no trabalho, na igreja, no ministério, no seu relacionamento com Deus. FECHE-O DEPRESSA.

Eis, a grande oportunidade de voltarmos, de revermos as coisas que estamos fazendo as claras e as que ainda permanecem ocultas. Isto porque, dura coisa é cair nas mãos do Deus Todo-Poderoso – olhe em volta e veja a correção de Deus sobre seus filhos. Pois quando Deus corrige um filho, é para que os outros tomem por lição, e não façam nada igual ou semelhante. A Bíblia diz: “Porque a ocasião de começar o juízo pela casa de Deus é chegada; ora, se primeiro vem por nós, qual será o fim daqueles que não obedecem ao evangelho de Deus?” – 1 Pedro 4.17. Se você já foi repreendido varias vezes pelo o Senhor, se você já recebeu dele algumas sinalizações – não persista no erro, isto pode ser fatal. A Palavra de Deus nos adverte: “O homem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz será quebrantado de repente sem que haja cura”. Provérbios 29.1. Lembre-se, o seu pecado pode te alcançar na próxima esquina da vida. Se você precisa de ajuda, não se demore, busque-a depressa, abra o seu coração para alguém de confiança, ou um profissional da área em que você se encontra com deficiência, a Bíblia diz: “...na multidão de conselheiros está a vitória” Provérbios 24.6. Se você é um líder, pastor ou não, não deixe que a unção do Altíssimo se torne em você coisa sem vida. Nem tão pouco, espere que Deus aja por você; Ele espera sim, o seu retorno ao caminho santo, espera de você uma atitude de arrependimento sincero e um total reconhecimento dos atos que lhe levou a queda.

Também não brinque com a paciência de Deus, não lhe provoque a ira, e O force a usar o martelo que esmiúça a penha, pois se for preciso Ele o fará. Meus Queridos! Eu acredito na igreja e também creio que podemos ser ainda o melhor de Deus para um mundo que está cansado dos nossos discursos de portas fechadas. Por isso, já é hora de rever os nossos atos e conduta cristã e redescobrir o caminho de volta para Deus e pregamos com a nossa vida as verdades inerrantes da Bíblia Sagrada, só assim o mundo acreditará em nós e alegraremos o coração do nosso Deus.

Que Deus nos abençoe!

Pr. Hamilton de Carvalho











Av. Riachuelo, 682, Maringá - Paraná - Brasil
contato@igrejabetesda.com.br
Fone: 44 3025-4885 :: (44) 9962-4885

OndeEstamos